NFJ#306 oferecida por Science Pulse 🌺 Jornalismo de soluções pode ser alternativa para enfrentar a crise

Somente nesta edição: concorra a uma bolsa e ganhe desconto para o curso de Leandro Demori, do The Intercept Brasil, sobre jornalismo investigativo

Share

Buenas, moçada.

Moreno aqui.

Sobre a parceria da NFJ com o curso do Leandro Demori, leiam o último tópico.

Estamos acompanhando a cobertura do assassinato de João Alberto por seguranças do Carrefour, em Porto Alegre. Na semana que vem traremos, possivelmente, maiores repercussões de como o jornalismo se comportou neste episódio repugnante. Por ora, gostaríamos de destacar esta crítica do Jornalismo em Pauta ao título que a ZH impressa deu para a matéria sobre o assassinato. Sigam lendo esta matéria da Ponte sobre o significado da morte de João no dia da Consciência Negra. Também esta matéria do Matinal Jornalismo sobre por que hoje não é feriado na capital gaúcha. E este fio do Vitor Rosa sobre crimes contra negros no RS. Esta reflexão do escritor carioca Jeferson Tenório sobre ser um negro vivendo em Porto Alegre. Aliás, leiam o Avesso da pele, livro de Tenório que "conta a história de Pedro, que, após a morte do pai, assassinado numa desastrosa abordagem policial, sai em busca de resgatar o passado da família e refazer os caminhos paternos". Leiam o pronunciamento dos cinco vereadores negros eleitos em POA. Leandro Demori investigou a Vector, empresa de segurança que presta serviços ao Carrefour, e expôs a relação desse tipo de negócio com a polícia. A jornalista FêCris Vasconcellos printou outros clientes da Vector. Leiam a coluna de Fabiana Moraes. E uma sugestão do que fazer

Ainda antes de começar, sugiro que vocês deem uma olhada neste texto de Jade Drummond, analista de audiência, comunidade e estratégia digital do Volt Data Lab e Science Pulse. Ela faz um balanço interessante do monitoramento da discussão científica no Twitter que o Science Pulse vem fazendo ao longo dos últimos meses.

O algoritmo do Pulse analisou mais de 800 mil tuítes publicados por quase 1.400 perfis de cientistas, especialistas e organizações do Brasil e do mundo. A Covid-19, claro, foi o tema predominante, tanto em tuítes em português quanto em inglês. Mas para além da pandemia, o conteúdo em português foi mais diversificado.

O ponto forte da análise é oferecer uma perspectiva ampla e ao mesmo tempo precisa das discussões que aconteceram dentro da comunidade científica. Confiram o texto.

Vocês conhecem o Pulse. É um projeto do ICFJ Knight Fellow Sérgio Spagnuolo, em colaboração com Volt Data Lab e apoio do International Center for Journalists (ICFJ) e da Agência Bori. O social listening do Pulse nos ajuda a conhecer e conversar com cientistas e a melhorar o nosso entendimento sobre a ciência e, consequentemente, a nossa cobertura - especialmente sobre a Covid-19. Deem uma olhada lá.

Ok, vamos lá.


🌺 Problemas técnicos nas eleições municipais, como dificuldades de acesso ao app e-título, demora na apuração dos votos e tentativa de ataque hacker motivaram circulação de desinformação nas redes sociais. O Radar Aos Fatos apurou que a segurança das eleições foi questionada no Twitter por ao menos dez parlamentares. Percebendo esse movimento, Cristina Tardáguila fez o alerta: “É fato que o e-título não funcionou direito e que há demora na apuração dos votos. Mas, por favor, questione o conteúdo de posts e tuítes antes de compartilhar. Não é hora de alimentar teorias da conspiração”. Antes mesmo de os problemas acontecerem, o Aos Fatos detectou que a narrativa de fraude já era alimentada nas redes sociais, com peças de desinformação surgidas na disputa de 2018. A boa notícia é que donos de quatro perfis que espalharam fake news nas redes não conseguiram se eleger. Pra quem quer ter uma ideia da variedade de desinformação nessas eleições, deem uma olhada na lista de verificações feitas pela Agência Lupa. No domingo do pleito, a Abraji registrou ao menos dois ataques contra jornalistas: um em São Paulo e outro no Rio Grande do Norte. E a Justiça Eleitoral censurou por três dias reportagem do The Intercept Brasil (“Candidato de Manaus conta com o hospital da família, a covid e o Judiciário para subir nas pesquisas”), a pedido do candidato derrotado Ricardo Nicolau. Ele ainda quer tirar do ar a segunda investigação sobre o caso e cobrar uma multa de R$ 100 mil por dia. Neste texto, a repórter Nayara Felizardo conta que esta é a primeira vez que o TIB é obrigado a tirar uma reportagem do ar. A Abraji condenou a censura e ainda destacou que o pedido de Nicolau incluiu a suspensão de todo o site do TIB. Pra fechar o bloco, aqui uma atualização sobre o processo do procurador Ailton Benedito contra o Aos Fatos, que repercutimos na semana passada.


🌺 Quatro anos depois de lançar o Google AMP, que privilegia publishers parceiros no carrossel de notícias em páginas de dispositivos móveis, a empresa anunciou que vai encerrar esse tratamento preferencial. Segundo esta reportagem da The Markup, o Google passa a priorizar páginas que oferecem boa experiência ao usuário, sejam as implementadas usando o AMP ou qualquer outra tecnologia. A reportagem destaca que o anúncio vem após o Departamento de Justiça dos EUA ter dito que o Google "tem o monopólio gatekeeper da internet".  Outra novidade é que o Google assinou acordos de direitos autorais com seis jornais e revistas francesas, incluindo o Le Monde e o Le Figaro. De acordo com a agência Reuters, as regras de direitos autorais permitem que os publishers exijam uma taxa pela exibição de trechos de suas notícias. A Apple, outra gigante do Vale do Silício, anunciou que vai reduzir de 30% para 15% a taxa que cobra pelas transações em seu sistema de pagamento - o que inclui assinaturas de notícias. Segundo este texto do Nieman Lab, a decisão - e o dinheiro - são bem-vindos, mas evidenciam o pouco controle que os publishers têm sobre os termos que recebem das empresas da tecnologia. Ainda no Nieman Lab, Laura Owen observou os feeds do Facebook de 173 pessoas durante o mês de outubro e descobriu que, embora a produção de notícias tenha sido uma das maiores da história dos EUA no período, mais da metade da amostra (54%) não viu nenhuma notícia nas primeiras 10 postagens de seus feeds. Vale ler também este texto de Chris Stokel-Walker na Business Insider. Ao comentar o lançamento global do Fleets do Twitter - muito parecido com o LinkedIn Stories, que é igual ao Instagram Stories, que é uma cópia do Snapchat Stories - ele afirma que “a inovação nas mídias sociais está morta”.


🌺 De acordo com o relatório anual “Media Futures 2020”, que entrevistou executivos de 177 veículos do Reino Unido, Europa e Ásia-Pacífico, a situação financeira das organizações jornalísticas está “ligeiramente melhor” do que muitos temiam no início deste ano, quando estourou a pandemia. O problema é que esse equilíbrio custou a demissão de muitos profissionais e, segundo este texto do PressGazette, os cortes devem continuar nos próximos 12 meses, “com 37% dos executivos esperando uma redução no número total de funcionários”. E vejam que triste esse levantamento da Press Emblem Campaign: desde maio, o número de jornalistas mortos por Covid-19 aumentou sete vezes, somando quase 500 em 56 países. Os países latino-americanos respondem por mais da metade desse total, informa este texto do GIJN. É também do GIJN este guia com dicas para jornalistas que cobrem saúde - desde informações sobre medicina baseada em evidências, ensaios clínicos e cuidados de saúde. Este novo relatório do Reuters Institute identificou que os podcasts de notícias têm desempenhado um papel importante ao informar o público sobre uma variedade de assuntos, incluindo o coronavírus. Nic Newman e Nathan Gallo destacam que o padrão de escuta de podcasts foi afetado durante a pandemia devido à perda do deslocamento diário. Mas, após essa queda inicial, houve uma recuperação, com podcasts de notícias diárias se saindo melhor do que a maioria dos outros gêneros. No Poynter, Tom Jones lista manchetes de jornais que não deixam dúvidas sobre a realidade da pandemia nos EUA. Ainda no Poynter, 12 técnicas de escrita para melhorar a cobertura da Covid-19.


🌺 O jornalismo de soluções pode ser uma alternativa para enfrentar a crise dos meios de comunicação, sugere Polet Herrera no PuroPeriodismo. Por meio de método, dados, pesquisa e rigor - “e não por falsas esperanças” - ele afirma que trata-se também de uma aposta para as escolas de jornalismo. Um dos exemplos é a Rádio Universidad de Chile, que está utilizando o jornalismo de soluções na cobertura de assuntos como ausência de educação emocional para famílias em quarentena. O professor Paul Bradshaw explica, em seu blog, como ensinar criatividade no jornalismo - “para encontrar pessoas com histórias interessantes para contar, e para nos adaptarmos quando não conseguimos encontrar a informação que queremos, ou quando ela não nos diz o que esperávamos”. E para profissionais que já estão com a mão na massa, este texto de Alan Rusbridger no PrezzGazette pode ter dicas úteis. O ex-editor do Guardian afirma que o editor moderno precisa ser mais do que um intelectual. “Bons editores devem saber um pouco sobre muitas coisas e ser honestos sobre o que não sabem. Eles devem entender que sua principal tarefa é dar aos leitores informações verdadeiras sobre coisas que serão importantes para suas vidas, mesmo se eles não entenderem ainda por que isso é importante; e mesmo se essas histórias nem sempre atraiam cliques ou publicidade”. Na CJR, Lauren Harris afirma que o jornalismo pós-Trump deve se voltar para a reconstrução das notícias locais. “A indústria precisa fazer mais, em todos os níveis”, defende. Algoritmos, big data e inteligência artificial. Pra quem quer saber mais sobre como cobrir esses assuntos complexos, vale ler este texto do Journalism.co.uk, com dicas de repórteres de Tecnologia.


🌺 O BuzzFeed anunciou a compra do HuffPost, em uma transação com o grupo Verizon. De acordo com este texto do NYPost, os termos do acordo não foram divulgados, mas as empresas afirmam que planejam distribuir conteúdo nas plataformas umas das outras, explorar oportunidades de monetização e alavancar formatos de anúncios emergentes. Nesta entrevista para a Vox, Jonah Peretti - que foi cofundador do Huffington Post e depois saiu para iniciar o BuzzFeed - disse que o motivo do negócio é aumentar a escala e que não pode garantir que todos os funcionários do HuffPost manterão seus empregos (vale lembrar que o HuffPost tem escritório no Brasil). O Redacciones4G, podcast argentino sobre inovação e tecnologia voltado para jornalistas, agora chega também a ouvintes no Uruguai, México, EUA e Espanha. De acordo com este texto da LatAm Journalism Review, o podcast faz parte do programa de treinamento da Telecom Argentina, que já formou mais de 150 redações e cerca de 5.000 profissionais. O Programa Tim Lopes, da Abraji, acaba de lançar o podcast “Jornalismo sem trégua”. A primeira temporada conta em 4 episódios a história de Tim Lopes, do assassinato ao legado deixado pelo jornalista. Pra fechar o bloco sobre novidades da indústria, a empresa jornalística ucraniana hromadske mostra sua estratégia no TikTok, plataforma que, segundo este texto da The Fix, não pode mais ser ignorada pelos veículos.


🌺 O Rede Cordiais está com vaga aberta para gestor de comunidade. | A Abraji abriu o Projeto CruzaGrafos para o público em geral. | A editora Insular lançou o livro "Novos olhares sobre o trabalho no jornalismo brasileiro". | No Novo em Folha, informações sobre bolsas no Reynolds Journalism Institute. | Também no Novo em Folha, informações sobre o prêmio de jornalismo C6 Bank sobre educação financeira. | Uma pesquisa sobre hábitos de leitura. | A segunda edição da Conversa Periódica vai falar sobre newsletters. | Que tal destinar parte do seu IR para financiar o jornalismo da Énois? | Foi lançada a Cajueira, uma newsletter quinzenal que vai destacar “conteúdos inspiradores, inovadores e plurais produzidos pelo jornalismo independente nos estados do Nordeste”. | O The Intercept Brasil está com bolsas para jornalistas negros. | Falando em Intercept, o editor-executivo do TIB, Leandro Demori, lançou um curso de jornalismo investigativo. E os assinantes da NFJ pagam menos (bem menos!). Cliquem aqui para se inscrever com um desconto de 47%. Corram porque as inscrições terminam no domingo (22/11) à noite. E mais: apoiadores R$+50 do Farol Jornalismo vão concorrer a uma bolsa (gratuidade) para o curso do Demori. Novos e atuais apoiadores (ativos) R$+50 podem concorrer à bolsa. Apoie o Farol Jornalismo até as 20h de domingo (22/11) para participar do sorteio. O vencedor sai por volta das 22h.


É isso, gente.

Bom final de semana a todos e todas.
E até sexta que vem.

Moreno e Lívia


Nosso agradecimento de <3 vai para:

Adri Brum, Adriana Martorano Vieira, Alciane Baccin, Ana Claudia Gruszynski, Anderson Meneses, André Caramante, André Roca, André Schröder, Andrei Rossetto, Ariane Camilo Pinheiro Alves, Bárbara Pereira Libório, Beatriz de Arruda, Bernardete Melo de Cruz, Bibiana Garcez, Bibiana Osório, Boanerges Balbino Lopes Filho, Caio Cesar Giannini Oliviera, Carolina Oms, Casemiro Alves, Cristiane Lindemann, Davi Souza Monteiro de Barros, Diego Escosteguy, Diego Freitas Furtado, Diego Queijo, Edimilson do Amaral Donini, Eliane Vieira, Emilene Lopes, Estelita Hass Carazzai, Fabiana Moraes, FêCris Vasconcellos, Felipe Branco Cruz, Felipe Seligman, Filipe Techera, Flavio Dutra, Gabriela Favre, Giuliander Carpes, Giulliana Bianconi, Guilherme Nagamine, Janaína Kalsing, João Vicente Ribas, Jonas Gonçalves da Silva, Jorge Eduardo Dantas de Oliveira, Leticia Monteiro, Lia Gabriela Pagoto, Lilian Venturini Gavaldão, Lucia Monteiro Mesquita, Luciana Kraemer , Luiza Bandeira, Marcela Duarte, Marcelo Crispim da Fontoura, Marco Túlio Pires, Margot Pavan, Maria Carolina Medeiros, Maria Elisa Maximo, Maria Inês Möllmann, Mayara Penina, Michelle Raphaelli, Nadia Leal, Nara Leal, Natália Levien Leal, Nícolas Barbosa, Filipe Speck / Noites Gregas, Paula Bianchi, Pedro Burgos, Pedro Luiz da Silveira Osório, Pedro Rocha Franco, Priscila dos Santos Pacheco, Rafael Grohmann, Raquel Ritter Longhi, Regina Maria Pozzobon, Roberto Nogueira Gerosa, Roberto Villar Belmonte, Rodrigo Muzell, Rogerio Christofoletti, Rose Angélica do Nascimento, Rosental C Alves, Samanta Dias do Carmo, Sérgio Lüdtke, Sérgio Spagnuolo, Silvio Sodré, Suzana Oliveira Barbosa, Tai Nalon, Tais Seibt, Vivian Augustin Eichler, Washington José de Souza Filho.

Apoiadores +R$10, informem aqui a URL para inserir um link ativo no seu nome.